3 Dicas para ter uma viagem mais segura

Não é necessário um grande investimento, medidas simples podem minimizar os riscos aos motoristas e à carga, para resultar em uma viagem mais segura.

Por mais que a palavra acidente nos remeta a algo que é inevitável e imprevisível, vale destacar que a maioria dos acidentes não ocorrem por acaso, condutores e transportadoras não podem se eximir da responsabilidade.

As três principais motivações dos acidentes de trânsito podem ser agrupadas em: Fator Humano, Fator Veículo e Fator Via.

Fatores decisivos para uma viagem mais segura

Segundo a Organização Mundial de Saúde, 90% dos acidentes são causados pelo fator humano, que envolvem desde a desatenção dos condutores até o desrespeito à legislação.

Os exemplos são claros, excesso de velocidade, falta de equipamentos de segurança, consumo de álcool, drogas ilícitas ou até mesmo dirigir cansado.

Mesmo os 5% dos acidentes que são classificados como falhas no veículo estão vinculados ao fator humano, já que atitudes como manutenção preventiva e corretiva são responsabilidades do condutor.

Restam apenas os 5% de acidentes causados por falhas na via, onde estes sim não dependem do controle do motorista, mas ainda podem ser contornados.

Mortes evitáveis: treinamentos de uma viagem mais segura

Não é à toa que mortes por acidentes no trânsito são consideradas pela OMS como mortes evitáveis.

Nesses casos, a capacitação dos colaboradores através de um treinamento pode ser um fator decisivo para reduzir essas ocorrências, o ideal é que esse treinamento de prevenção ocorra a cada 6 meses com sua equipe.

Confira abaixo as orientações necessárias que todos os motoristas devem ter acesso antes de iniciar qualquer operação:

Fator Humano: o elemento humano é fundamental

Certifique-se de que os profissionais estão cientes sobre a importância de não exceder os limites de velocidade e de não realizar ultrapassagens perigosas na via. O desrespeito às leis de trânsito são a principal causa dos acidentes.

Na estrada mantenha aceso o farol baixo para aumentar a visibilidade do caminhão para os outros veículos. E em dias de chuva, não deve-se frear bruscamente para não aquaplanar.

Assegure-se de que o período de descanso do motorista está sendo respeitado.

É imprescindível que a orientação para o não consumo de substâncias que inibem o sono, seja reforçada para todos os motoristas. Os efeitos colaterais dessas drogas são até mais perigosos, pois alteram a percepção de risco e pode levar ao sono profundo, assim que o efeito termina.

Fator Veículo: seu veículo também precisa de atenção

Confirme se o checklist do veículo foi efetuado antes da saída para uma entrega.

Faça sempre a manutenção preventiva do seu caminhão (e oriente para ser feito quando o caminhão for do motorista) para verificar não só os faróis como também as condições dos freios e pneus, além da parte elétrica e hidráulica do veículo.

Não deixe o caminhão sair com excesso de peso, além de ser uma infração, caminhões pesados demais acabam perdendo sua eficiência, especialmente em curvas e ultrapassagens.

Sempre que surgir algum imprevisto com o veículo, a orientação é que a parada seja feita em postos da polícia rodoviária ou em locais movimentados e bem iluminados.

Fator Via: o destino está em suas escolhas

Faça o planejamento de suas rotas, evite as vias que estão em mau estado de conservação, com falta de sinalização e acostamentos. Se for inevitável passar por elas, oriente o motorista para que redobre a atenção.

Sempre verifique sites que informam o status atual da sua rota para evitar surpresas.

Não freie quando passar por buracos, pois isso aumenta o desequilíbrio do veículo, isso sem falar no risco de colisão traseira caso outro veículo esteja próximo. Se você visualizá-los antes de se aproximar, reduza a velocidade com antecedência, mas evite frear sobre eles.

Em descidas, a indicação é usar o freio suavemente, e manter-se com a marcha engatada, em vez de andar em ponto morto, manobra popularmente chamada de “banguela”.

Atitudes fundamentais para segurança dos motoristas

Essas atitudes no trânsito em geral são de grande valia para quem tem de pegar a estrada frequentemente, e lembre-se que o cuidado deve ser redobrado devido ao tamanho do caminhão ser duplicado em relação aos outros veículos, então a responsabilidade é ainda maior.

Mas para fazer a gestão e entender quais as tecnologias mais adequadas para a sua operação você precisa de uma equipe capacitada e especializada no assunto, as gerenciadoras de risco são as principais aliadas nesse quesito.

Uma gerenciadora de riscos possui uma equipe qualificada para auxiliar na pesquisa do profissional durante o processo seletivo, além de promover ferramentas para a atualização constante desse profissional, mantendo-o integrado e comprometido com a cultura e estratégia da sua empresa.

Por isso, somos referência no gerenciamento de riscos no transporte de cargas, ajudando transportadores a diminuírem seus prejuízos e aumentarem sua produtividade com entregas dentro do prazo e maior satisfação do cliente. Clique aqui e converse com nossos especialistas.

Compartilhar esse artigo:
LinkedInFacebookTwitter

Entre em contato