Arla 32 e o uso obrigatório no transporte de carga

GESTÃO LOGÍSTICA 08/02/2024

Você sabe qual a importância do ARLA 32 para os veículos da frota?

Esse é um produto que auxilia na redução de agentes poluentes derivados da queima do combustível de veículos pesados.

Por isso, é importante saber como usar o produto nos veículos da frota, mas também conhecer alguns cuidados que precisam ser tomados na hora de usar e, principalmente, comprar o produto.

Confira a seguir por que o Arla 32 é obrigatório, como usar adequadamente e principais cuidados para seu rendimento. Boa leitura!

O que é ARLA 32

O ARLA 32 é um líquido químico para veículos que possuem o sistema de Redução Catalítica Seletiva (SCR). Esse é um produto necessário ao controle da poluição proveniente da queima do óleo diesel.

ARLA é a abreviação de Agente Redutor Líquido de Óxidos de nitrogênio (NOx) Automotivo. O número 32 em ARLA 32 indica a concentração de ureia em água desmineralizada (32,5%). Ela é a responsável pelo processo químico dentro do catalisador, por isso a sua importância para os veículos da frota.

Mais especificamente, o ARLA 32 age convertendo as partículas de óxido de nitrogênio (NOx) em nitrogênio e água.
Isso resulta em uma redução de até 98% nas emissões de óxido de nitrogênio no ambiente. Essas, além de serem altamente poluidoras, essas também são prejudiciais à saúde e causam vários problemas respiratórios.

Além disso, o ARLA para caminhão também auxilia na economia de combustível da frota, o que faz valer a pena o investimento no preço do produto para os veículos.

Por que o Arla 32 é obrigatório?

O ARLA 32 se tornou obrigatório no Brasil de acordo com o PROCONVE – Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores.

O Arla é obrigatório em diversos países, incluindo Brasil e países da União Europeia, devido às regulamentações ambientais mais rigorosas. A legislação estabelece limites máximos de emissões de poluentes para veículos a diesel, e o uso do Arla 32 é uma forma de garantir que esses limites sejam cumpridos.

Como utilizar o ARLA 32

A primeira coisa que se deve ter atenção é na quantidade de produto que se deve usar. Em geral, 5% do volume de diesel é adequado para o transporte de cargas. Isto quer dizer, por cada 20 litros de diesel, é preciso 1 litro de ARLA 32.

Já nos veículos com sistema SCR, existe um tanque destinado ao produto ARLA , porém não deve, de maneira alguma, ser misturado com o óleo diesel.

Então nesses veículos, a necessidade de abastecimento do ARLA 32 é apontado no painel e deve ser feito no tanque específico para o produto que, normalmente, fica ao lado do tanque de combustível diesel.

Caso o abastecimento não seja feito em 48h após o painel informar, pode haver uma perda de até 40% na potência do veículo.

Qual o rendimento do Arla 32

O rendimento do Arla varia de acordo com o veículo e as condições de uso. Em média, o consumo de Arla 32 é de aproximadamente 5% a 8% em relação ao consumo de diesel. Ou seja, para cada 100 litros de diesel consumidos, espera-se utilizar de 5 a 8 litros de Arla 32.

É importante ressaltar que o Arla 32 deve ser abastecido em um tanque separado do diesel, geralmente localizado próximo ao tanque de combustível. O sistema SCR controla automaticamente a injeção do Arla de acordo com as necessidades do veículo, garantindo a correta dosagem do aditivo.

Cuidados na aquisição do ARLA

Para evitar a compra de produtos falsificados, que são comuns no mercado, é necessário tomar algumas precauções.

Inspeção da embalagem

Recomenda-se que, ao comprar o produto, verifique-se o recipiente de plástico tem sinais de violação na tampa, furos, rachaduras ou se está amassado. Caso tenha algum desses sinais, evitar comprar o produto, pois pode estar contaminado.

Atenção ao selo de segurança

É crucial também verificar se o rótulo tem uma impressão clara e se inclui o selo do INMETRO e informações sobre: o produto e o fabricante.

Em caso de incerteza, é aconselhável avaliar uma amostra para verificar se o odor não é diferente do usual e se há sinais de impurezas. Como as manchas de óleo ou qualquer tipo de coloração diferente, características que não devem ser encontradas em produtos de alta qualidade.

Se o ARLA 32 for vendido diretamente de reservatórios, as mesmas orientações sobre aparência e odor se aplicam.
Há várias marcas disponíveis no mercado, aprovadas pelo INMETRO, que podem ser usadas com confiança, como Flua Petrobras, Shell Evolux ARLA 32, Air 1 (da Yara), Ipiranga ARLA 32, Blue DEF (da Peak) e Blue Air (da Usiquímica).

São produtos produzidos por empresas confiáveis, com ureia de extrema pureza e água desmineralizada.

Evite comprar substâncias caseiras

Substâncias caseiras ou de procedência incerta não devem ser utilizadas. Normalmente, essas são feitas com ureia comum, de uso agrícola, e água da torneira ou de poço, e por isso, não atendem aos padrões de qualidade necessários.

Elas contêm impurezas que causarão danos irreparáveis ao catalisador do veículo e resultarão na perda da garantia. Além disso, não desempenharão sua função, pois haverá um aumento na poluição produzida pelo veículo.

Evite produtos em promoção

Uma economia insignificante no uso do ARLA 32 não representa lucro, mas sim um prejuízo garantido. Além do dano ao veículo, a saúde das pessoas que inalam os gases do motor é a mais afetada.

O custo milionário das doenças provocadas pela poluição atmosférica é colossal e toda a sociedade é prejudicada, sobretudo as crianças e os idosos.

É sempre importante relembrar os riscos e consequências da fraude no uso do ARLA 32. Além de colocar o transportador em perigo de multas e perda de pontos, essa prática ilegal também pode resultar no incômodo de ter o veículo apreendido pelas autoridades policiais.

É fundamental seguir as regulamentações e utilizar corretamente o ARLA 32 para evitar problemas legais e garantir o bom funcionamento do sistema de redução de emissões.

Quais as consequências de usar o Arla de forma incorreta

O uso incorreto do Arla pode acarretar em diversas consequências negativas. Algumas delas incluem:

  • Aumento das emissões de poluentes: se o veículo não receber a quantidade adequada de Arla 32 ou se o aditivo estiver contaminado, as emissões de óxido de nitrogênio podem exceder os limites legais, resultando em multas e restrições de circulação.
  • Danos ao sistema de exaustão: quando o Arla 32 não é utilizado corretamente, a formação de depósitos e cristais pode obstruir o sistema SCR e danificar componentes como o catalisador e as válvulas, resultando em custos de reparo elevados.
  • Perda de desempenho do veículo: o uso inadequado do Arla 32 pode levar a falhas no sistema SCR e redução do desempenho do veículo, incluindo perda de potência e aumento no consumo de combustível.

Portanto, é fundamental seguir as recomendações do fabricante do veículo e abastecer o Arla 32 de forma correta, utilizando produtos de qualidade e evitando contaminações.

Tenha uma operação totalmente segura e otimizada com os mais modernos softwares do mercado de transporte rodoviário de cargas. Nós da Buonny somos especialistas em gerenciamento de riscos e monitoramento de cargas, oferecendo soluções para tornar a sua operação segura e eficiente. Clique aqui e converse com nossos especialistas.

Compartilhar esse artigo:
LinkedInFacebookTwitter

Entre em contato