Como superar os desafios da logística no agronegócio

LOGÍSTICA 11/01/2022

Como superar os desafios da logística no agronegócio

Você já parou para pensar no caminho que os alimentos percorrem até chegar à sua casa? A logística no agronegócio é complexa e para garantir produtos de qualidade na mesa de milhões de pessoas, os produtores brasileiros enfrentam uma série de desafios.

O agronegócio é o setor econômico mais forte do Brasil. O país é o terceiro maior exportador de commodities agrícolas do mundo. Na lista dos produtos estão soja, milho, trigo, açúcar, café, carnes, algodão e até suco de laranja. Só as lavouras de café faturaram R$ 40,12 bilhões em 2021, segundo a Embrapa.

Para que a produção, armazenagem, transporte e distribuição de toda a produção seja feita de maneira rentável e com a qualidade necessária – principalmente quando se trata de carga perecível – é fundamental investir em logística no agronegócio.

Em 2020, a participação do agronegócio no PIB brasileiro foi de 26,6% e deve fechar em torno de 28% em 2021, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) confirma as projeções otimistas e prevê um crescimento de 3% a 5% em 2022.

Em 2020, o PIB totalizou R$ 7,45 trilhões, sendo quase R$ 2 trilhões relativos ao agronegócio. As exportações, de janeiro a novembro de 2021, tiveram valor recorde de US$ 110,7 bilhões, um alta de 18,4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Diante da importância e do potencial do setor para a economia brasileira, é essencial que as empresas se preocupem com a logística no agronegócio. Por isso, neste artigo, vamos falar sobre os desafios enfrentados pelo setor e como vencê-los com inovação, tecnologia e boas estratégias de gestão. Confira.

Logística no agronegócio: o que é?

A logística no agronegócio engloba a movimentação e o armazenamento de produtos agroindustriais e suprimentos usados na cadeia produtiva. Envolve toda a estratégia para garantir que os produtos destinados ao consumo interno ou à exportação cheguem ao destino com qualidade, no menor tempo e com o menor custo.

Esse tripé – qualidade, prazo e custo – é determinante para o sucesso da logística no agronegócio!

Imagine o potencial de um segmento que precisa de armazenagem e transporte adequados das sementes, insumos e equipamentos, ração animal, distribuição das safras, entrega de produtos para processamento industrial e abastecimento de supermercados.

A lista vai de fertilizantes, adubos e defensivos agrícolas a rações, máquinas, medicamentos e vacinas para animais, sementes, maquinário industrial, aditivos e embalagens.

A agroindústria e os consumidores dependem de estratégias logísticas assertivas e inteligentes. A alta performance do setor passa, evidentemente, pela otimização e automatização dos processos, uso de novas tecnologias, soluções integradas de gestão e análise de indicadores de desempenho.

Leia aqui Tecnologias no transporte rodoviário de cargas: como potencializar a gestão e a segurança das operações.

A importância da logística de distribuição

O escoamento da produção do agronegócio requer uma logística de distribuição assertiva, que consiga dar agilidade ao fluxo operacional sem elevar demais os custos logísticos.

Como envolve grandes volumes de carga e mercadorias, a logística de distribuição e transporte no agronegócio deve levar em conta as embalagens, cuidados na armazenagem, temperatura controlada no estoque e transporte, controle de umidade e outros aspectos que vão garantir a qualidade da carga.

A ampla visibilidade dos processos, os cuidados na roteirização, monitoramento das cargas e gerenciamentos dos riscos, agilidade na comunicação entre os stakeholders e cumprimento dos prazos de entrega são requisitos que não podem ser negligenciados.

Agentes envolvidos na logística do agronegócio

  • Embarcadores: fazem a contratação do frete, dos operadores logísticos e do seguro da carga. Devem contar com ferramentas e soluções voltadas à seleção de fornecedores de transporte e acesso amplo e em tempo real às informações sobre a movimentação das cargas.

 

  • Transportadores: são responsáveis pela movimentação da carga e pela emissão dos documentos fiscais de transporte. Devem cumprir prazos e regras do plano de gerenciamento de riscos, ter equipes capacitadas e garantir a segurança da mercadoria.

Leia mais em Plano de Gerenciamento de Riscos (PGR): como ser assertivo nas estratégias de segurança no transporte rodoviário de cargas.

  • Terminais de transbordo: são operadores logísticos que recebem, armazenam e transferem as mercadorias em lotes, agilizando a cadeia logística no agronegócio. Um exemplo é o transbordo rodoferroviário – o caminhão descarrega, a mercadoria é armazenada e, depois, carregada em trens com destino ao porto (ou vice-versa).

 

  • Logística de apoio: é encarregada de controlar o estoque de insumos e garantir que as etapas de produção sejam cumpridas no prazo. Faz o controle do fluxo de estoque e validade dos insumos e mercadorias, evitando desperdícios.

8 desafios da logística no agronegócio

Em 20 anos (2000 a 2020), o agronegócio brasileiro deu saltos de crescimento. Só a produção de grãos teve incremento de 210% no país, enquanto a média mundial ficou em 60%.

O Brasil tem mais de 350 milhões de hectares de terras produtivas e mais de 5 milhões de propriedades rurais espalhadas de Norte a Sul. Ainda que venha se destacando, o setor enfrenta sérios desafios logísticos que elevam os custos de produção e distribuição.

A logística no agronegócio é uma importante aliada para aumentar a capacidade produtiva e tornar o setor ainda mais competitivo. Mas para reduzir os custos, aumentar a eficiência e elevar a lucratividade, alguns desafios devem ser vencidos.

Entre os principais gargalos enfrentados pelo agronegócio estão:

  1. Alta dependência do modal rodoviário, que responde por quase 70% do transporte de mercadorias no Brasil, a custos elevados.
  2. Falta de infraestrutura das estradas, que levam a quebras dos caminhões, avarias à carga, atrasos na entrega e insegurança.
  3. Roubo de cargas, sendo que os produtos alimentícios, agrícolas e defensivos químicos estão entre os mais visados pelas quadrilhas que agem nas rodovias brasileiras.
  4. Altos custos e carga tributária elevada. As operações logísticas brasileiras estão entre as mais caras do mundo.
  5. Sistema multimodal deficitário e dificuldade de acesso a terminas portuários, excesso de burocracia e grandes filas nos períodos de safra.
  6. Equívocos na gestão e falhas no planejamento logístico, com poucos investimentos em tecnologia capaz de agilizar o gerenciamento, melhorar o acesso à comunicação e garantir informações estratégicas.
  7. Falta de infraestrutura para armazenamento dos produtos. No Brasil, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento, a capacidade de armazenamento da produção agrícola é 27% menor do que a produção, o que leva a perdas. O ideal seria ter, no mínimo, uma capacidade de armazenamento 20% maior do que a produção.
  8. Desperdício e perdas da produção nas etapas de armazenamento e transporte.

Como superar os gargalos

Apesar das dificuldades, é possível elevar os padrões de qualidade da gestão logística no agronegócio. As soluções passam por:

  • Automatização e modernização dos processos.
  • Investimento em soluções tecnológicas e softwares integrados de gestão.
  • Planos de gerenciamento de riscos focados nas particularidades do agronegócio.
  • Monitoramento das cargas e, no caso de produtos refrigerados, controle da temperatura e umidade durante o transporte.
  • Sistemas que ofereçam ampla visibilidade das operações, com uso de soluções como a telemetria.
  • Atenção diferenciada às cargas especiais e estratégias para reduzir os desperdícios, controlar custos e diminuir os prazos de entrega.
  • Cuidados com a armazenagem, embalagens, embarque e desembarque.

Para garantir tudo isso, a melhor alternativa é apostar em tecnologia, inteligência artificial, profissionais qualificados e parceiros especializados no desenvolvimento de soluções logísticas para o agronegócio.

Vantagens de contar com quem entende do assunto

Líder em gerenciamento de riscos, a Buonny explora todo o potencial das novas tecnologias para contribuir com operações logísticas mais eficientes. As soluções contemplam as diferentes etapas do transporte de cargas e tornam as viagens mais seguras, eficientes e lucrativas.

Ao contar com parceiros que sabem como elevar a excelência logística, inclusive no agronegócio, você conta com vantagens como agilidade e otimização de resultados, mais produtividade, menos falhas, redução de custos, confiança do mercado e alta performance.

Conheça os serviços e soluções oferecidos pela Buonny e garanta a excelência logística no agronegócio. Fale com um consultor.

Quer saber mais?

Leia também Buonny: nova era no gerenciamento de riscos para o transporte rodoviário de cargas.

Compartilhar esse artigo:
LinkedInFacebookTwitter

Entre em contato