Como reduzir o gasto em manutenção corretiva na frota

GESTÃO|TRANSPORTE 21/07/2022

É necessário investir em manutenção corretiva quando os veículos da frota sofrem desgastes ou apresentam defeitos. Normalmente, trata-se de um reparo emergencial, portanto, faz com que a empresa acabe tendo gastos maiores.

Além disso, a redução da frota durante o período de correção pode atrapalhar a produtividade e a eficiência das entregas.

Embora seja uma saída para não ter a frota parada por muito mais tempo, é importante entender que existem outras medidas preventivas para evitar a manutenção corretiva.

Neste conteúdo vamos explicar como reduzir os gastos neste cenário, quais são os tipos de manutenção da frota que podem te ajudar a evitar problemas e como funcionam os tipos de manutenção corretiva.

Ficou interessado(a) em saber mais sobre o assunto? Então siga a leitura e confira!

Entenda o que é a manutenção corretiva 

A manutenção corretiva é uma medida que tem como objetivo a reparação emergencial de um veículo ou maquinário. Em caso de veículos, os mecânicos realizam a substituição de componentes ou peças que foram desgastadas, apresentaram falhas ou reduziram a capacidade de funcionamento do veículo.

É comum que as manutenções corretivas sejam feitas sem planejamento em decorrência de falha na manutenção preventiva ou por conta de um defeito imprevisto.

Como a manutenção corretiva pode influenciar nos gastos da frota

A manutenção corretiva é a mais onerosa para a administração de frotas. Afinal, o veículo ficará ausente por um período superior ao dos outros tipos de manutenções, como a preventiva, por exemplo.

Além disso, há o custo da mão de obra para que o reparo seja devidamente realizado em tempo hábil.

Nesse cenário, prejuízos consideráveis podem ocorrer devido à interrupção dos serviços, já que o não cumprimento dos prazos contratados pode acarretar a perda de clientes, que ficarão insatisfeitos com os serviços da transportadora.

Dessa maneira, a imagem da empresa pode ser prejudicada, reduzindo a credibilidade da marca no mercado.

Por isso, é fundamental estar atento ao estado dos veículos e realizar periodicamente a manutenção preventiva.

Quais os tipos de manutenção da frota

Existem três tipos de manutenção da frota. Acompanhe!

Manutenção Preventiva

Como o próprio nome sugere, a manutenção preventiva faz um diagnóstico do estado do veículo para que ações sejam tomadas antes que aconteça algum imprevisto.

Ela deve ser feita de maneira periódica, analisando o estado dos pneus, freios, motor, fluidos, suspensão, sistema elétrico, escapamento e baterias. Por isso, é papel do gestor de frotas realizar os planos de manutenção e monitorar essas ações de perto.

Com isso, garante-se a segurança e satisfação dos clientes e colaboradores, a otimização dos recursos da frota, bem como uma imagem positiva da transportadora no mercado.

Manutenção preditiva

A manutenção preditiva tem o mesmo intuito da manutenção preventiva, no entanto, é mais profunda, eficiente e custosa para a empresa, pois carece da utilização de recursos de última geração.

Nela, é feito o monitoramento do estado do veículo por meio de rastreadores, câmeras termográficas, ultrassom e muito mais.

Embora mais cara, ela também garante o funcionamento da frota, assim como a conservação do patrimônio da empresa, evitando desgastes e problemas maiores com os veículos. A segurança do colaborador também é garantida.

Manutenção corretiva

Como já comentamos, a manutenção corretiva pode ser planejada ou emergencial, sendo custosa neste segundo caso. Veja mais sobre este tipo de manutenção a seguir! 

Como funciona a manutenção corretiva

A manutenção corretiva planejada é uma forma de eliminar uma potencial falha, antes que ela se torne um erro funcional e impeça o veículo de integrar a frota definitivamente.

No entanto, quando a falha potencial não representa riscos graves, seu reparo pode ser programado para um momento mais oportuno para a empresa, porém, é fundamental que seja resolvida o mais rápido possível.

Já a manutenção corretiva emergencial é aquela que não se pode esperar.

Ou seja, o conserto deve ser feito imediatamente, uma vez que o uso do automóvel pode representar grande risco à segurança do motorista, aos demais cidadãos inseridos no dia a dia do trânsito e à própria carga transportada.

3 pontos que precisam estar no seu planejamento de manutenção da frota

Os veículos são fundamentais para que as entregas sejam realizadas de acordo com o prazo estipulado e com a qualidade esperada pelo cliente. 

Logo, é fundamental que se faça um planejamento estratégico da manutenção da frota para evitar que medidas emergenciais tenham de ser tomadas com muita frequência.

A seguir, vamos expor 3 pontos muito importantes que precisam estar inseridos na gestão da frota. Acompanhe!

Antecipação de custos

Mesmo que a manutenção preventiva e preditiva esteja sendo realizada com excelência, imprevistos podem acontecer. Isso significa que é indispensável realizar a antecipação de custos e direcionar um capital exclusivo para a resolução desse tipo de demanda.

Com isso, a empresa não sofre um prejuízo tão expressivo no caso de um veículo apresentar defeitos, e garante a eficiência das entregas.

Outro ponto positivo da antecipação de custos é que, quando houver a necessidade de fazer um reparo de emergência, ele poderá ser feito imediatamente.

Monitoramento dos veículos

O segundo ponto que deve ser levado em consideração para o planejamento de manutenção da frota é o monitoramento dos veículos.

Ele informa para os gestores como anda a performance do motorista, assim como dados sobre as rotas e segurança da operação. Dessa forma, é possível tomar decisões preventivas, como checagens, para que os problemas sejam antecipados ou prevenidos. Dessa maneira, pode-se corrigi-los antes que se tornem um transtorno maior para a transportadora de cargas.

Essa atitude preventiva garante a segurança para todos os envolvidos com a transportadora e evita a perda ou a demora na entrega da carga. Ou seja, além de otimizar os recursos, evita que os clientes tenham uma experiência desagradável.

Capacitação de motoristas

Por fim, o terceiro aspecto que precisa ser considerado é a capacitação de motoristas. Afinal, são eles que lidam diariamente com os veículos e seu comportamento nas estradas influencia diretamente a segurança e qualidade da operação.

Além disso, um condutor capacitado também é capaz de identificar e sinalizar precocemente possíveis defeitos apresentados pelo carro.

Portanto, invista no recrutamento, seleção e preparação dos motoristas da frota. Dessa maneira, além de evitar desvios de conduta, evita-se a degradação dos veículos e a atitude perigosa no trânsito.

Quer montar uma estratégia eficiente de gerenciamento de riscos para a sua transportadora? Então clique aqui e conheça a Buonny Tech, solução completa com as melhores tecnologias do mercado para garantir a segurança e a eficiência da sua operação.

Compartilhar esse artigo:
LinkedInFacebookTwitter

Entre em contato