Transporte de carga indivisível: como funciona a AET

Quem trabalha com carga pesada tem um grande desafio quando o assunto é transporte de carga indivisível, já que esse é um tipo de transporte que precisa seguir normas específicas de acordo com a Lei.

Por isso, assim como acontece com o transporte de carga perigosa, o gestor de frota de transporte de carga indivisível precisa estar atento a essas normas para evitar multas e até mesmo a paralisação das operações da transportadora.

Para ajudar você a entender mais sobre transporte de carga indivisível e como funciona a legislação dessa modalidade de transporte, preparamos este conteúdo. Acompanhe!

Entenda o que é carga indivisível

Como o próprio nome sugere, carga indivisível é aquela que a carga não pode ser separada, ou seja, são peças unitárias que, geralmente, são pesadas e grandes, exigindo um cuidado maior durante o transporte.

A Resolução 210 de 2006 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) é a norma que traz o conceito da carga indivisível, estabelecendo seus limites de altura, largura e comprimento da carga.

São exemplos de carga indivisível:

  • grandes toras de madeira;
  • guindastes;
  • blocos de rochas;
  • pás eólicas;
  • asas de avião.

Logo, a carga indivisível precisa ser acomodada no compartimento de carga e deslocada por inteiro, já que não é possível fazer a divisão dela.

Como funciona o transporte de carga indivisível?

De fato, realizar o transporte de carga indivisível requer muito profissionalismo e planejamento. Afinal, esse tipo de carga traz peculiaridades que devem ser observadas para garantir a segurança de todos os envolvidos.

É por essa razão que a legislação brasileira rege que nenhum caminhão deve transitar em rodovias sem oferecer total segurança. Para isso, devem estar equipados para assegurar que a carga estará bem fixada, diminuindo o risco de acidentes.

Portanto, para trabalhar com transporte de carga indivisível é preciso estar atento à legislação.

A Resolução 01/2016 do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) é a responsável por disciplinar a utilização das rodovias brasileiras para o transporte de cargas indivisíveis, sendo esse o órgão autorizado para expedir a Autorização Especial de Transporte (AET). Acompanhe a seguir!

Autorização Especial de Transporte (AET)

Quem atua com o transporte de carga indivisível deve obter a AET junto ao DNIT. Esse documento deve circular com a carga durante todo o trajeto.

A autorização pode ser válida por 90 dias em caso de veículos especiais, sendo sua utilização válida somente para uma viagem com rota previamente estabelecida e informada ao órgão, o que inclui o retorno do veículo vazio ao local de origem.

O transportador pode solicitar a prorrogação desse prazo por igual período, caso necessário. Nessa situação, é preciso formular uma justificativa para a conclusão do transporte em um período de tempo maior.

Já para as transportadoras que atuam diretamente com o deslocamento desse tipo de carga, os veículos transportadores podem receber uma autorização de até 12 meses.

Dessa forma, são autorizados a transitar livremente do amanhecer ao pôr do sol, em qualquer rodovia federal, desde que estejam dentro dos seguintes limites:

  • altura total — 4,40 metros;
  • largura total — 3,20 metros;
  • comprimento total — 30 metros;
  • peso bruto total combinado — 57 toneladas.

A autorização para o transporte de carga indivisível pode ser solicitada pelo site do DNIT, onde você poderá preencher um formulário. Clique aqui e confira o passo a passo!

Outra forma de solicitar a AET é comparecer a uma unidade física do órgão do local em que o transporte será iniciado.

Como usar a tecnologia para aumentar a segurança no transporte de cargas e evitar acidentes nas rodovias
Baixe agora nosso ebook Como usar a tecnologia para aumentar a segurança no transporte de cargas e evitar acidentes nas rodovias.

Quais cuidados tomar no transporte de carga indivisível?

Como se trata do deslocamento de grandes estruturas, é preciso estar atento ao transporte e tomar alguns cuidados. Acompanhe!

Estrutura do caminhão

A estrutura do caminhão deve ser adaptada para suportar o transporte de carga indivisível. Isso significa que o veículo deve ter força de tração suficiente para se deslocar, considerando o peso da carga.

Uma configuração de eixo adequada ainda é indispensável para fazer esse tipo de transporte, como também o veículo deve estar em bom estado de conservação.

Sinalização

Para comunicar aos outros condutores da via a natureza da carga, os veículos de transporte de carga indivisível devem ter uma placa traseira de advertência visível e clara.

O objetivo desta sinalização é alertar os demais motoristas para redobrar a atenção quando cruzarem com esses veículos na estrada, evitando acidentes.

TUV

A Tarifa de Utilização da Via (TUV) é uma taxa que deve ser paga por transportadores cujos veículos possuam peso bruto total combinado superior a 74 toneladas.

O cálculo da taxa é feito considerando a distância a ser percorrida, o que inclui o percurso de volta — mesmo que o caminhão retorne vazio.

Assim, desde que a carga transportada esteja em conformidade com a autorização de transporte especial emitida, a quitação do valor da taxa isenta o transportador de multas por excesso de peso.

Horários de viagem

Preferencialmente, o transporte de carga indivisível deve ser feito do amanhecer ao pôr do sol, incluindo sábados, domingos e feriados.

Ainda é permitido o transporte noturno para os veículos que não ultrapassem os limites da AET em rodovias que possuem diversas pistas e com separação física entre elas.

Para evitar  transtornos ou interrupção do fluxo normal de veículos, o DNIT pode conceder a autorização para o transporte noturno após a consideração do parecer da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Treinamento de motoristas

O transporte de carga indivisível requer treinamento da equipe de motoristas para que eles saibam como agir no trânsito, evitando acidentes. Além disso, caso a carga sofra alguma avaria no deslocamento, é preciso tomar as providências cabíveis, a fim de mitigar transtornos ainda maiores.

Escoltas

A depender do tamanho e dimensões da carga, é possível que o DNIT estabeleça, por meio da AET, a necessidade de escolta. Esses veículos são responsáveis por sinalizar o transporte de carga indivisível e assegurar que o processo ocorra da melhor maneira possível.

Gerenciamento de riscos

Contar com uma empresa de gerenciamento de riscos é fundamental para o sucesso do transporte de carga indivisível. Isso porque, com o uso da tecnologia, é possível monitorar a carga 24 horas por dia, o que confere mais segurança para a carga, motoristas e outros agentes presentes no trânsito.

Utilizando o monitoramento e rastreamento, por exemplo, é possível acompanhar a operação do escritório em tempo real e identificar situações de risco. Isso possibilita à gestão de transporte tomar decisões com rapidez e assertividade, diminuindo riscos de acidentes.

Além disso, com os recursos de roteirização, é possível otimizar o tempo de transporte, além de diminuir os impactos negativos no trânsito ao encontrar as melhores rotas para esse tipo de carga.

Planilha de Simulação de Rateio. Baixar agora!

Máxima atenção ao transporte de carga indivisível

Viu como o transporte de carga indivisível requer máxima atenção? Esse tipo de carga deve seguir a legislação e contar com motoristas bem treinados, além de uma operação bem estruturada para garantir segurança e eficiência no trajeto.

Para isso, conte com a nossa expertise. Somos líderes no mercado de gerenciamento de riscos e temos soluções aliadas à alta tecnologia para trazer mais resultados para sua transportadora. Clique aqui e converse com nossos especialistas.

Compartilhar esse artigo:
LinkedInFacebookTwitter

Entre em contato