LinkedInFacebookXWhatsApp

Como acabar com a ociosidade da frota

LinkedInFacebookXWhatsApp
Caminhões preparados para reduzir a ociosidade da frota

Um dos principais desafios logísticos é reduzir a ociosidade da frota. Como o setor de transportes convive com as dinâmicas e sazonalidades do mercado e da economia, muitas empresas acabam com os caminhões parados no pátio, viajando com cargas incompletas ou retornando vazios.

A ociosidade da frota traz impactos e prejuízos às operações, tornando-se um risco ao futuro dos negócios.

Driblar a inatividade requer planejamento e uso de tecnologias para o monitoramento das viagens, roteirização, controle dos indicadores de desempenho e sobre a forma como os caminhoneiros dirigem, bons planos de manutenção, treinamento dos motoristas etc.

Ainda que as causas da ociosidade da frota sejam diversas, o primeiro ponto essencial é identificar os gaps e planejar as estratégias para otimizar o uso de caminhões. Veículos parados no pátio ou carretas fazendo a viagem de retorno vazias são problemas que não podem ser subestimados.

Por isso, preparamos este artigo com soluções e dicas para reduzir a ociosidade, melhorar o desempenho e aumentar a lucratividade nas operações de transporte rodoviário de cargas. Aproveite a leitura e torne sua frota mais produtiva!

Impactos da ociosidade nas empresas

A ociosidade pode ser definida como inatividade ou oposto de produtividade. Esse problema atinge empresas de todos os segmentos e portes. Quando uma empresa não utiliza integralmente a sua capacidade operacional – sejam máquinas, equipamentos, frotas ou mão de obra – está desperdiçando recursos.

Um dos principais problemas é que a ociosidade é silenciosa e muitas empesas nem a percebem até que ela interfira seriamente nos custos e no retorno financeiro esperado. Para evitar os prejuízos, as empresas devem investir em planejamento e em sistemas de gestão que organizem os fluxos e demandas, identificando e solucionando de forma ágil a ociosidade.

Prejuízos da ociosidade na logística

Os caminhões são o principal ativo das empresas de transporte de cargas e, se a frota fica ociosa, é sinal de que um importante investimento foi desperdiçado.

No caso da logística, a ociosidade pode ser identificada em diferentes etapas, tanto na produção, armazenagem, embarque e transporte. Isso porque, seja qual for o processo logístico, é sempre possível ser mais ágil e produtivo, inclusive nas atividades burocráticas e administrativas, com o uso de sistemas capazes de automatizar as rotinas.

Já o conceito de ociosidade da frota diz respeito tanto aos caminhões parados no pátio da empresa – reflexo da falta de planejamento, roteirização mal feita ou mesmo frotas superdimensionadas – quanto àqueles veículos que trafegam com menos mercadoria do que sua capacidade, fazem viagens de retorno sem carga ou ficam parados com os motores ligados.

Sim, o tempo perdido em congestionamentos, por exemplo, a falta de manutenção preventiva ou o velho e equivocado hábito de ligar o caminhão alguns minutos antes da partida para aquecer o motor também agravam a ociosidade da frota.

Se esse tipo de problema se torna frequente e os recursos são mal aproveitados, naturalmente os gastos com combustível, pedágio, manutenção e mão de obra aumentam. Nesse caso, os prejuízos ao setor logístico começam a se tornar evidentes.

Cálculo de consumo de combustível

Como a ociosidade afeta os custos no transporte?

Se uma empresa mantém a frota ociosa, começa a ter prejuízos. Para evitar o colapso financeiro, eleva os valores cobrados pelo serviço, mas perde a competitividade. Ou seja, a ociosidade da frota provoca um looping desfavorável aos negócios.

Para compensar, vem a redução dos investimentos, negligência em relação à manutenção preventiva, cortes na contratação de soluções tecnológicas, redução do quadro de funcionários, fim dos programas de capacitação dos motoristas, enfim, uma série de fatores que coloca o sucesso da operação em risco.

A principal causa da ociosidade da frota está diretamente relacionada à falta de planejamento e monitoramento das operações. Ter caminhões parados ou subutilizados custa caro e pesa no orçamento das empresas.

Os impactos envolvem:

  1. Aumento das despesas operacionais. Mesmo com a frota ociosa, os gastos com aluguel de pátios e garagens, IPVA, seguro dos veículos e salário dos motoristas se mantêm.
  2. Menor lucratividade e desequilíbrio financeiro. Em muitos casos, a receita gerada pela empresa é menor do que os gastos para manter a frota.
  3. Perda de competitividade e da produtividade, com recursos subutilizados.
  4. Depreciação dos veículos e problemas mais frequentes com bateria, motor, pintura, pneus etc. Isso porque, para economizar, as empresas costumam adiar a manutenção dos caminhões inativos.
  5. Prejuízo à imagem da empresa, já que frotas paradas demonstram dificuldades de gestão, falhas operacionais e pouco planejamento.
Como reduzir custos no transporte de cargas
Baixe agora nosso ebook Como reduzir custos no transporte de cargas

Soluções para a ociosidade da frota

Para reduzir a ociosidade da frota, a primeira providência é identificar as causas do problema. Por que os caminhões estão parados no pátio? A frota é maior do que a demanda? O problema é recorrente ou sazonal? Desde quando a frota está ociosa?

A manutenção preventiva é outro ponto importante a ser observado, já que os reparos emergenciais são sempre mais caros e as falhas mecânicas impedem o caminhão de iniciar a viagem ou concluir a entrega. Caminhão parado ou quebrado na estrada é prejuízo!

Já a roteirização otimiza as viagens, melhora a escolha dos percursos e aumenta a segurança. Implemente também um bom sistema de gestão de entregas e coletas para aumentar o número de viagens de retorno com carga.

Igualmente essencial é investir na capacitação dos caminhoneiros e em um sistema de monitoramento para acompanhar as viagens em tempo real. Além disso, existem tecnologias, como a telemetria, que ajudam a avaliar como os motoristas estão conduzindo os caminhões e qual é o consumo de combustível por veículo.

Lembre-se: o sucesso do seu negócio não está no tamanho da frota, mas sim na produtividade.

Planilha de Ponto de Equilíbrio Financeiro. Baixar agora!

Ociosidade da frota: como a Buonny pode ajudar

A Buonny tem soluções focadas na produtividade e na redução da ociosidade da frota. Uma delas é a Gestão Logística, um sistema de gerenciamento de transportes que torna a operação mais eficiente, facilita o planejamento e a gestão, permite o acompanhamento das viagens em tempo real e faz a gestão do transporte a partir de uma tela.

Na prática, a Gestão Logística consegue controlar as informações e rotas, monitorar a localização dos veículos e fornecer dashboards gerenciais com ampla visão dos processos logísticos. Assim, as empresas podem fazer o acompanhamento estratégico dos serviços de transporte de carga e tomar decisões para acabar com a ociosidade da frota.

Outro recurso é a Telemetria. A solução aplicada pela BuonnyTech não só automatiza a coleta de dados e a comunicação remota como monitora o torque e as RPMs do motor, controla a marcha lenta, acompanha o consumo de combustível e analisa a forma como o motorista dirige.

A partir de todos esses dados, as empresas conseguem fazer análises inteligentes e tomar medidas de correção dos processos que levarão, naturalmente, ao aumento da produtividade e da competividade.

Fale agora com um especialista da Buonny e reduza a ociosidade da frota.